quarta-feira, 14 de maio de 2008

Picos de Rosas


Hoje senti um sei lá o quê que doeu que eu sei lá.

As palavras podem fazer doer. Podem até matar.

Matar, não de matar mas de matar do coração.

Há assim umas palavras que entram disparadas e se espetam no coração como lanças.

Entram, dilaceram e deixam-nos sem forças.

O corpo ressente-se e estremece e os olhos enchem-se de lágrimas que saltam descontroladas.

Um arrepio descontrolado sobe pelo corpo, prende a respiração e desce pelos braços abaixo, deixando os pêlos todos eriçados e um frio na alma grande demais.

A vida tem destas coisas. Um dia rosas outro dia os picos das rosas.

4 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

"são como punhais, as palavras" dizia o Eugénio de Andrade...

eu também as trissinto.

beijinho

sum disse...

Beijinho Júlia.

ana v. disse...

São mesmo como punhais, às vezes mais letais ainda do que eles. Mas depois vêm mais rosas, Sum. Vêm sempre, é só suster a respiração e esperar por elas.
beijinhos

sum disse...

Obrigada Ana.
Respiração sustida. Que venham depressa.
Um beijinho