domingo, 25 de maio de 2008

Domingo


Escrever!

Hoje!

Naaaa…

Vê-se que é domingo, e aos domingos ninguém no seu prefeito juízo tem cabeça para escrever coisas decentes ou minimamente.

Hoje é dia de passeio, de música, de leitura, de conversa e de descanso.

Passeio ao lado do mar com a música a girar (girar!... de onde me veio esta palavra. De gira discos? Gira discos, musica a girar, disco de vinil a rodar, engraçado o conceito ainda cá está apesar destes anos todos. Ainda me lembro do meu primeiro gira discos, foi a minha mãe que mo deu de presente dos meus 15 anos)

Leitura do livro, que durante a semana ficou por ler, sentada numa cadeirinha virada para o sol.
Almoço e boa conversa, copinho de vinho e um sorriso. Finalmente sopas, descanso e blogs.

Escrever não cabe nestes domingos.

Ah! Mas cabe gamanços. Aqueles com os quais esbarramos e nos identificamos.

Li e tornei a ler um novo, no meu mundo blogosférico, Era uma vez… , que caiu no mesmo erro do que eu, para alem de ter alguns post, muitos mesmo, nos quais me reconheço. Dele tirei algumas inspirações futuras. Gostei daquele sol, gostei da sensibilidade.

Passei também pelo Ordem/Desordem.

Que desordem! Já tem tanta coisa nova...

Aqui a inspiração é outra. A leitura é feita através dos traços. Traços com estilo, traços com precisão de artista, numa visão que só um poeta da pintura pode ter.

Uma desordem! …
O que aparentemente é uma desordem, com um certo olhar profundo é detectada uma ordem.
Uma ordem
Tudo tem um lugar, o lugar certo do sentir do criador.

Já lhe vi vários estilos. Já lhe vi várias técnicas (se é que sei o que isso é). Não sei de qual goste mais. Há no entanto alguns que dentro da Desordem me orientam para o sentido da Ordem. Esses são os meus preferidos. E, sorte a minha que, os que eu tenho são uns deles. Este
e este. Mas este, este , este, este, este, e este são alguns dos que eu também gostaria de ter.

Muitos mais blogs novos foram vistos hoje, mas a minha capacidade de absorção e de … é limitada, diria mesmo que muito limitada. Assim fico-me por aqui hoje.

2 comentários:

Hay disse...

Sum!

Aqui estou, em primeiro lugar muito obrigado pelas lindas palavras que deixou, como disse, é uma alegria tanto aqui e lá...
Conheço seu lindo país, andei por ele, de Sul ao Norte, e sempre a impressão foi a mesma, o mar... o mar! E um céu que só conseguiria reproduzir numa tela, teve dias que ele era bronze velho, como o próprio Portugal! Cheio de lembranças antigas, e foram elas que mais me tocaram!
O marulhar do mar azul deixou saudades para sempre, essas que nos acompanham e aparecem nos momentos mais estranhos...

E, Sum, nada de se preocupar em deitar umas letras ao papel, mesmo que seja um domingo, principalmente quando são deliciosos como esses!
Não se deixe intimidar pelo fato de ser um dia de descanso no calendário dos homens...

Como sempre, adorei!

Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas... continuarei a escrever.
Clarice Lispector

Abraço Carinhoso,
Hay

sum disse...

Hay,
Engraçado estar a falar de Clarice Lispector.
É mais uma daquelas ignorâncias que só podia acontecer comigo!
Soube dela há muito pouco tempo. Ainda este mês. Tem coisas lindas.
Aos poucos vou aprendendo. Mais vale tarde que nunca. Onde vi pela primeira vez foi num blog que costumo consultar O Privilegio dos Caminhos de Júlia Moura Lopes neste post ( http://oprivilegiodoscaminhos.blogspot.com/2008/05/citando-clarice-lispector.html)

Há coisas que caem na nossa vida do nada, e de repente parece que elas nos entram pela porta a dentro nos dias seguintes. Maravilhoso...

Um abraço
Sum