quinta-feira, 22 de maio de 2008

Pequenos Ódios, Pequenos Amores


Respondendo ao desafio de Júlia Moura Lopes do Privilégio dos Caminhos aqui ficam seis das pequenas grandes coisas que mais odeio nesta vida.

Com a grande ressalva de que estas não são as únicas. Todos os dias tenho mais algumas, umas novas, outras que me vou lembrando (requintes da minha malvadez):

Indiferença: odeio quando me fazem sentir invisível
Mentira: odeio ser enganada
Maldade: odeio sentir uma picada
Falta de humildade e humanidade
Desonestidade
Desamor

O sétimo para a transgressão das regras

Ódio: não gosto de sentir ódio, sinto-me pequenina e desorientada odeio que me façam sentir tal coisa.

Subscrevo ainda da Júlia:

Inveja
Má educação

E porque hoje eu quero gostar mais do que odiar, lanço, eu mesma à Júlia, o desafio da escolha de seis coisas que amamos por contrapartida a tanto ódio.

Sensibilidade: um amor sentido, um bom momento vivido,
Carinho: Um abraço precisado
Amor: Uma historia para contar
Humildade
Lealdade
Honestidade é o que chamo a mim no dia de hoje.

Para a transgressão das minhas próprias regras

Amizade: Uma boa companhia e uma boa conversa com um bom copo.

E assim cumpro com o desafio que me foi proposto e que de imediato aceitei.

Adoro um bom desafio, obrigada Júlia.

Só não tenho a quem passar, por isso e sem querer, quebro a corrente que me foi confiada.


4 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

que lindo!
vou cumprir!

sum disse...

Um Beijinho grande, obrigada pelo desafio.

Hay disse...

Fazem meses que sempre leio seus escritos, e sempre gosto, e sempre quero escrever, mas como geralmente acontece acabo não fazendo. Um, pelo fato que é extremamente difícil que alguém de tão longe nos responda, não que isso seja importante, mas sempre agradável eu diria. Dois, esse primeiro contato, apesar de ser alguém que quase conhecemos pelo que escreve, nada de nós sabe, muito menos sabe que alguém lá longe segue suas letras...
Mas, vai lá, apenas devaneios!
Parabéns pelos belos pensamentos que tem dividido com todos nós, seus leitores.

Abraços do Sul do Brasil
Hay

sum disse...

Obrigada Hay,
Que bom que é saber que alguém lê os meus pequenos sentimentos e escritos e que ainda por cima gosta.
Não, de facto não sabia que os seguia, nem me passou pela cabeça que alguém pudesse perder tempo com eles.

Escreva sempre que quiser, é bom sentir que alguém está aqui ao nosso lado, mesmo que esteja do outro lado do oceano.

Agradeço mais uma vez a suas palavras amigas.