sexta-feira, 7 de março de 2008

Desafios


AV lançou novo desafio aqui.

Não foi para mim, obviamente, mas...

Achei graça porque assim que li, comecei automaticamente a pensar como é que eu posso dizer:

"A marquesa saiu as cinco. "

E saiu-me assim de repente várias hipóteses:

Como cantiguinha de criança:

“Já a tarde ia longa
Quando o cuco espreitou
E cinco badaladas cantou.
A marquesa levantou-se e desceu
o seu cabelo ajeitou,
Pegou no lulu e basou.
Já a noite espreitava
Quando a Marquesa voltou
E o que fez, a ninguém contou.”

Como…

A Marquesa deu de frosques por volta das cinco.
Um embrulho trouxe quando voltou
E no lixo o deitou
Mas quem lho fez a ninguém contou

Ou como…

D. Marquesa se vestiu, bateu a porta e sumiu.
Eram cinco da tarde, mas ninguém viu.

E ainda como…

D. Marquesa, basou, deu de frosques, pirou-se, evaporou-se, pisgou-se, abalou, zarpou, … às cinco. (e quantas mais palavras há para descrever saiu, foi-se embora?)

Mas também há como…

No limiar da porta a criada espreitou e avisou a sua senhora de que as cinco tinham acabado de bater. Calmamente a Marquesa levantou-se, deu um jeito no cabelo amassado, vestiu um casaco e dirigiu-se à porta. Sem dar explicações saiu.

Finalmente, para acabar com tanto disparte, como...

Deve ser das altas horas da noite, que só me saem Duques para a acompanhar a Marquesa que saiu às cinco.

E por fim ainda bem que Paulo Mendes Campos não está cá para “assistir a esta vulgaridade”.

2 comentários:

av disse...

E pôs as suas versões no blog da Meg? Espero que sim! O desafio era para quem quisesse pegar-lhe, e por isso, também para si...
Um beijinho
ana

sum disse...

Não pus, mas vou ter de pôr, certo?
Obrigada pela chamada de atenção.