sábado, 9 de fevereiro de 2008

Grande Desafio


Grande desafio este, hoje já li aqui coisas que me fizeram pensar, e é mesmo disto que eu gosto. Comecei por ler a seguinte mensagem na Porta do Vento:


"
Palavras minhas
Pede-me a
Leonor Barros que nomeie as 12 palavras de que mais gosto. Difícil tarefa, escolher só 12. Adoro palavras e tenho a veleidade de achar que sou correspondida. Gosto de dizê-las, de escrevê-las, de repeti-las mentalmente, soltas ou em combinações caprichosas que elas próprias tratam de compôr. Dói-me quando as maltratam, como se fossem gente, e alegro-me quando as glorificam. As palavras são um brinquedo eterno e universal, além de absolutamente democrático: todos temos acesso a elas, ao seu mistério, à sua beleza, ao seu peso específico. Com palavras se pode dar vida e com palavras se pode matar. Mesmo os silêncios são feitos de palavras imaginadas, sonhadas, desejadas ou temidas. As palavras dançam à nossa volta durante uma vida inteira, a convidar-nos para o seu baile alucinante. Dancemos com elas.
Vamos às minhas preferidas, então. Não me detive no significado mas talvez na fonética, ou apenas no misterioso eco interior que cada uma delas provoca em mim, sem razão aparente. Aqui estão:
MaresiaAreiaMadrugadaBaíaLuzDelíciaCambraiaVentaniaPeleSilêncioVoragemIlha
Parabéns pela ideia, Leonor. O exercício é estimulante, ao contrário de algumas correntes que andam por aí na blogosfera. E passo o desafio a 12 amigos blogueiros (um por cada palavra preferida):
Teresa, Mariav, Capitão-Mor, JuliaML, Pedro Viegas, Jayme Serva, African Queen, RAA, Lord Broken-Pottery, Adelaide Amorim, Sofia e Feitixeira, porque todos eles são gente da palavra. E de palavra."

Posted by av


Gostei sinceramente desta última frase “… misterioso eco interior que cada uma provoca em mim, sem razão aparente….” É mesmo o que determinadas palavras me provocam.
Resolvi, mesmo sem ser chamada, fazer este jogo de mim para mim e escolher eu própria 12 palavras pelo seu “misterioso eco interior que cada uma provoca em mim, sem razão aparente.”:

Simples
Sonho
Sentido
Sofrido
Sombra
Mar
Vento
Brisa
Abraço
Beijo
Amor
Vida

Engraçado que elas, palavras, foram saindo, uma a uma sem grande esforço e todas elas no encadeamento das anteriores. No entanto, palavras são palavras e valem o que valem enquanto tal e como tal.

Dizem-nos hoje o que amanhã poderão não dizer e tocam hoje o que poderão não tocar amanhã.
Mais simples, hoje podem ser estas, amanha outras.


É engraçado que, apesar de ter tido e escrito um diário toda a minha vida ou pelo menos desde que me recordo de mim própria, não me lembro de ter dado tanta importância às palavras como de há uns tempos para cá.
Sempre tentei pôr o que sentia no papel, mas nunca dei muita importância ao que escrevia, não olhava muito para trás, não relia. Enfim, só desabafava. Hoje dou por mim a tentar escrever aquilo que me está na alma, ou esteve de alguma forma. Obvio que não consigo, pelo menos com a dignidade do sentimento em si. E também é obvio que o meu português brega que “maltrata” as palavras, não ajuda a compor qualquer coisa de jeito.

Mas de vez enquanto, e para dar uma certa pinta ao meu cantinho, vou tomando a liberdade de transcrever uns quantos poetas e escritores. Assim vou de alguma forma colmatando as minhas grandes limitações ao mesmo tempo que vou transmitindo alguns dos meus sentires mais profundos.

2 comentários:

av disse...

Obrigada pela citação, Sum. Só agora dei por ela.
E não posso deixar de reparar nas coisas em comum que temos (vejo-as na longa lista em que se descreve), o que não é de espantar já que somos ambas aquarianas. Para dar um exemplo - e pouca gente diz isto - eu também acho supérfulo dormir.
Um beijinho
Ana

sum disse...

Obrigada Ana,
Pelas palavras amigas,mas quem agradece sou eu, por tanta companhia que me tem feito e por não ficar zangada pela citação. Mais propriamente citações.
Um beijinho
Sum

Aproveito para lhe dar os parabens pelos livros e pelo seu outro Blog "Violinos no Telhado" que estou a adorar.