sábado, 5 de julho de 2008

Certezas e Incertezas


Todos nós temos os nossos pequenos segredos. Aqueles segredos que, muitas vezes, nem a nós próprios podemos contar. E são esses pequenos segredos, tão nossos, que nos fazem viver e morrer.

São estes segredos que temos de calar, que transmitem ondas de sensações.

Sensações que não podemos de maneira nenhuma mostrar de outra forma que não a dos olhares e esperar que (não) sejam entendidos por quem de direito. Sensações que confrontadas não nos deixam outra opção que não a de fugir, omitir ou mentir deixando assim desentendimentos no ar…

Quanta mentira. Na realidade queremos ser encontradas, descobertas e compreendidas no silêncio das palavras, correspondidas nos pensamentos e traídas nos actos.

E viva aquela famosa frase:

"A verdade de outra pessoa
não está no que ela te revela,
mas naquilo que não pode revelar-te.
Portanto, se quiseres compreendê-la,
não escutes o que ela diz,
mas antes, o que não diz."


(Khalil Gibran)

Tão verdade quanto aquela verdade que escondemos dentro de nós e, quantas vezes de nós.

Se às vezes já é difícil aceitar os factos, muito mais difícil é aceitar os subentendidos. Aquilo que sentimos que é, mas que na realidade poderá não ser...

Fica sempre a incerteza.

E com esta incerteza vem a incerteza do que sentimos, a incerteza do que queremos, a incerteza do que somos. A situação toma dimensões que nos deixam incomodadas, e muitas vezes magoadas, e com a certeza de que temos de tomar decisões.

Decisões baseadas unicamente nestas sensações de incerteza, baseadas no nada que nos entortou o espírito e nos magoou a alma.

Fico enjoada só de pensar.

4 comentários:

ana v. disse...

Os nossos pequenos segredos são preciosos, Sum. São eles que nos dão a certeza de sermos diferentes e únicos, feitos de luz e de sombra. Todos temos os nossos jardins secretos, e ainda bem...
Beijinho

sum disse...

Oh Ana, é mesmo isso.

E gostei da sua descrição, "São eles que nos dão a certeza de sermos diferentes e únicos, feitos de luz e de sombra." É bonito ver dessa forma!

É certo que todos nós "temos os nossos jardins secretos", mas também é certo que gostávamos de os partilhar, muitas vezes com quem não devemos. E gerir as nossas expectativas é por vezes bem mais difícil do que gerir as dos outros.
Mas de certa maneira “ainda bem...” porque são esses pequenos segredos, tão nossos, que nos fazem viver... (e morrer de vez em quando)
UI, a noite já vai alta. Já estou a filosofar…
Hoje é daquelas noites que se me derem trela, passo a noite inteira a filosofar. LOL
Beijinhos Ana

Júlia Moura Lopes disse...

que bem dito pela Ana!

sum disse...

E foi mesmo Júlia.
Bejinho Grande