quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Particularidades quem não as tem


Fui convidada pelo Privilégios dos Caminhos de Júlia ML e pelo Desconversas de Mike, a confessar seis particularidades minhas.

A ver se consegui perceber o que me pedem.

Particularidades são pormenores, detalhes, especialidades, singularidades ou melhor excentricidades, originalidades, extravagâncias, esquisitices.

Assim já estou mais dentro do assunto e já começo a vislumbrar algumas coisas, vejamos:

Não uso relógio de pulso a quase 6 anos, o tempo deixou de ser importante enquanto tempo a passar. É preciso viver e deixar viver e isso leva o tempo que tem de levar, quanto, pouco importa.

Não passo o Sal de mesa de mão para mão. Porquê, ainda nem eu percebi. Não passo e pronto.

Não gosto, mas não gosto mesmo de estar sozinha. A solidão envolve-me em sentimentos que não sei ultrapassar, que me abafam que me anulam. Não significa que não precise de me encontrar de vez em quando (geralmente estes meus encontros não correm nada bem).

Tenho uma fixação por mãos, gestos, expressão. Não é preciso que sejam bonitas mas precisam de me dizer alguma coisa. Sou capaz de não olhar mais para uma pessoa por causa delas. Até hoje ainda não aconteceu, mas nunca é tarde! Mãos não mentem. Dizem exactamente quem é quem. Alias o meu provérbio é “ Mostra-me as tuas mãos e dir-te-ei quem és para mim”.

O meu lençol de banho tem de ser branco. E grande. E de qualidade. E imaculadamente limpo.

Amigo é uma palavra mágica. Por eles, tudo. Sem eles, nada.

Puxa!!! Não sobrou muita coisa.

E passo este desafio a quem me ler .

Muito obrigada Júlia e Mike. Apesar de não vos conhecer as mãos, gosto muito da vossa maneira de ser. :)))

4 comentários:

Mike disse...

Muito bem... olhe, eu sem relógio sinto-me despido, e estar sozinho é coisa que não me apoquenta. :)

JúliaML disse...

eu nunca olho para o relógio :-))

adoro estar sozinha!

sum disse...

Olha que dois!!
Estar sozinha para mim é um castigo, e dos grandes.
Relógio é um istrumento que eu Amo mas que hoje de pouca utilidade!
E eu a achar que me iam cair em cima por causa do Sal... (risos)

Mike, o melhor mesmo é pôr o relógio todos os dias de manhã, nao há necessidade nenhuma de se sentir despido (Risos)

A Júlia é cá das minhas, relógio para quê!

Mike disse...

Hum... em casa nunca ando de relógio... (riso abafado)