sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Jogo de Sedução


O jogo de sedução de que eu tanto gosto desta vez apanhou-me na curva.

Não vale a pena tentar enganar-me.

Deixei-me levar, envolvi-me, perdi.

Envolvi-me não de paixão mas de desejo.

Não é aquele desejo de ter para mim a pessoa por quem me deixei envolver.

Não é desejo da carne.

É desejo de me sentir amada.

Desejo de me poder aninhar e sentir o calor de um abraço protector.

É desejo de ter uma pessoa que olhe por mim, que me dê atenção que goste de mim, que me queira do seu lado, que goste de conversar comigo, de partilhar as coisas mais banais desta vida, que goste das mesmas coisas que eu e com quem eu possa brincar, correr, andar, tropeçar. Que não me leve a mal, não me cobre o dia-a-dia, não exija a minha perfeição. Desejo de poder ser eu, de dar o meu conforto e o meu abraço, de não ter medo de me expor, de me sentir livre.

Por momentos achei que tinha encontrado!!!Mas que sina a minha! Ter perdido mesmo antes de ter encontrado.

Desta vez fui surpreendida, eu própria não queria nada, querendo tudo. Deixei-me envolver!!!!

Não me perdoo por me ter deixado iludir, por me ter deixado ir tão longe. Não me perdoo por me ter dado ao luxo de ter sonhado tão alto.

10 comentários:

mike disse...

Sum, o título não faz justiça ao texto. Escreveu (tão bem) sobre o amor e não sobre um jogo (de sedução). E acho que faz muito bem em não se perdoar por se ter deixado iludir, por se ter deixado ir tão longe, por se ter dado ao luxo de ter sonhado tão alto. Porque não há nada a perdoar. Que texto divinal!

JúliaML disse...

concordo com o Mike! o texto está divino e muito feminino.
Só não concordo com o Mike em mudar o titulo.para mim, ao contrário, completa o sentido do texto. Mas issso só as mulheres entenderam,Sum.

fugidia disse...

Nunca se perde, quando se ama, mesmo quando não se tem (todo) o retorno que se deseja.

Gosto do título, se ler apenas os primeiros quatro e os últimos três parágrafos do texto. Porque falam do jogo de sedução...
Os do meio falam de amor e o amor é muito mais do que um jogo de sedução.
Amor é mesmo como diz, Sum: dar a mão e aninharmo-nos, nus (porque sem receios ou medos de nos mostrarmos como somos).
Beijinho :-)

sum disse...

Mas tudo começou com esse belíssimo Jogo, Mike!!!
:))

Assim já vale o título?
;)

sum disse...

Obrigada Júlia.

Solidariedade precisa-se.
:))

sum disse...

Tem toda a razão nunca se perde quando se ama. Mesmo quando não há retorno.
Aqui o que se perdeu, foi mesmo o jogo.
:P
Um beijinho

Mike disse...

A melhor maneira de tudo começar é com esse sublime Jogo. O título sempre valeu, Sum. Queria dizer-lhe uma coisa, posso? Aqui vai: este é um dos melhores posts que li nos últimos tempos. Pronto, já disse. :-)

sum disse...

Obrigado Mike, fico contente.
:) e ainda bem que o titulo sempre valeu, nao saberia muda-lo para outra coisa.:)

ana v. disse...

Querida Sum, sem nos envolvermos o jogo de sedução é uma treta! É mais arriscado, eu sei, mas só assim é que vale a pena... e ganha-se sempre, mesmo que se perca aparentemente. Nada pior do que estar imune às emoções e aos sentimentos.
Beijinho

sum disse...

Olá Ana,
Como sempre cheia de razão.
Nesta vida ou arriscamos ou saimos dela com pouca coisa.
um beijnho.