terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Aquela Carta


Comecei a escrever uma carta para te enviar e de repente, quando a releio, dou conta que ela pode ter mil e um sentidos.

Escrevo outra vez, mas agora de outra forma.

Releio e mais uma vez tudo pode ter outro sentido. Refaço vezes sem conta mas o que eu queria passar, coisa tão simples, continua a poder ser interpretado de milhentas maneiras.

Vi com tristeza que, se a leres poderás pensar em tudo menos no que simplesmente te queria dizer!

Mas, mais triste só o facto de não te ter enviado a carta!

O que eu não escrevi, mas escrevi e o que não tinha intenção de te dizer, mas parece que disse, o que eu queria ter contado, e não consegui… Ficou por aqui mesmo.

É nestas pequenas coisas que vejo o que vou perdendo.

Da minha parte, espontaneidade e todo o meu eu.

Da tua… Provavelmente nada, nem te deste conta que alguma perdeste aquilo que nem sabes que tiveste.

Bom? Mau? Nunca saberás, nem eu...

Mas sentirei sempre a falta de não te ter escrito aquilo que tanto te queria dizer.

Que teríamos ganho se eu a tivesse enviado? Provavelmente nada! Nunca saberás, nem eu ...

Mas, talvez eu não sentisse esta falta, tão grande, de não te ter contado o tanto que tinha para contar.


9 comentários:

Mike disse...

Sum, isso nunca aconteceu comigo por isso não sei bem o que dizer. E se calhar o melhor era ficar quieto e calado. Mas não sou capaz... ó senhora, mande "essa carta", mande-a já amanhã, mesmo achando que é tarde, porque nunca é. Não pense no que vai causar a quem a receberá, pense apenas no bem que a si fará. Vá, nem hesite, mande "essa carta". :D

JB disse...

Se eu escrever uma carta e não a mandar deixa de ser carta, para ser apenas uma folha escrita. Carta tem de ser enviada e tem de ser recebido. Acho eu, sei lá... E parabéns pelo acompanhamento musical.

JúliaML disse...

acontece-me sempre. A minha mãe dizia que não fazia mal, porque eu já tinha dito o que queria e poderia não cincidir com aquelo que o outro quereria ouvir :-)
nem de propósito, tenho lá no meu Caminho a sua prendinha de Natal.

beijo

fugidia disse...

Mande a carta, Sum! :-)
Não hesite mais...
Beijinho

sum disse...

Mike, Parece que chegou a Hora!! certo!!
com tanta gente a dizer a mesma coisa...
Obrigada pelas suas palavras. Se as coisas correrem bem ainda lhe agradeço. :) Mas se as coisas correrem mal... Não sei não. :))


JB, vou ver se a folha de papel escrita passa rapidamente a carta, que foi para isso que ela foi feita!! Não é verdade?

Júlia, o meu presente é um espectáculo. Belo momento! Obrigada estava mesmo a precisar.
:) Um beijinho grande

Fugi, obrigada pelo apoio. Um beijo grande. Vou tentar enviar...(risos de nervosos)

Anónimo disse...

Obrigado por escreveres estas coisas todas de Natal. Muito bonito.

Rogério Carrola

fugidia disse...

E então, Sum, a carta já foi?
:-)

sum disse...

Obrigada eu Rogério, por ter um leitor atencioso como o Rogério.
Um Beijinho de Bom Natal

sum disse...

A bem dizer fugidia, teve mesmo, mesmo , mesmo a sair.... E depois ... Não tive coragem. Pode ser que amanha vá
;)