quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Olhei e Vi


310 posts.
Um ano e dois meses.
5471 Entradas sem contar com as minhas.
Media de 30 páginas lidas/dia e de 20 visitantes por dia.

Quando comecei este “diário digital”, nunca me passou pela cabeça que o conseguiria manter por tanto tempo e tão assiduamente actualizado. É um facto que me tornei uma dependente do computador, mas não me arrependo nem um bocadinho.

Tem sido divertido!

Já não é a primeira vez que sinto que escrever me faz bem, que me descrever a mim e ou aos meus sentimentos, me obriga a perceber os porquês da minha existência.

É também uma forma simpática de me ir conhecendo, de andar mais devagar no tempo e de dar algum valor ao que me rodeia.

Também já não é a primeira vez que menciono o meu famoso Diário. Aquele que me acompanhou em cada folha, em cada linha, em cada palavra, até ao dia em que me casei. Ou talvez um tempinho antes.

Nesse eu escrevia sem regra e sem cerimónias, o que fazia e o que não fazia, o que me ia na alma, no coração e na cabeça, com pressa e sem pressa. Não dava sequer para me tentar conhecer, tal era a intensidade dos disparates que escrevia.

Aqui a coisa é diferente.

Ao princípio não sabia minimamente o que estava a fazer, nem tão pouco o alcance de uma brincadeira destas. Não fazia a mais pálida das ideias que por dia podia ser lida por 2 pessoas quanto mais por média de 20. No entanto e com grande respeito pelos que me poderiam ler, tentei pelo menos não dar erros ortográficos e estruturar minimamente o meu raciocínio.

Mais uma vez desabafando. Nesta minha luta, quase diária de tentar escrever qualquer coisita que não me envergonhe, e que defina o meu estado de espírito, ou simplesmente o que me passa pela cabeça, os meus momentos, os meus sentimentos, as minhas musicas, os meus pensamentos, dei-me conta da minha falta de cultura geral e especifica, da minha falta de vocabulário, da minha falta de humor e capacidade de resposta, da minha falta de sentido estético, da minha falta de conhecimento literário e gramatical, da minha falta de sentido de oportunidade, etc, etc, etc. Mas todas estas coisas más têm tido uma boa contrapartida, tudo o que tenho aprendido ao longo deste ano, tudo o que tenho lido e tantas coisas bonitas, as pessoas excelentes que já conheci, enfim um mundo que se abre à minha frente pronto para ser desvendado e todo para mim.

O que quero, como quero, quando quero. Há coisa melhor?

Tudo isto tem sido uma surpresa. Começou pela primeira pagina, nunca pensei conseguir escreve-la. O meu esforço, a minha paciência, a minha perseverança, a minha vontade, a minha mudança, a minha atitude, a minha sensibilidade, a minha estrutura, a minha posição, o meu ser, etc.

Tem sido fantástico!

4 comentários:

JúliaML disse...

e nós gostamos de a ler e de a saber por perto, minha querida amiga! :-)

sum disse...

Ora Igualmente Júlia.
Um beijinho grande
:))

fugidia disse...

Parabéns, Sum!
E não se deprecie, não?
:-)

sum disse...

Obrigada Fugi. Tentarei :P