terça-feira, 16 de setembro de 2008

Não há nada pior





Não há nada pior do que sentir e não dizer, achar e não saber, querer e não ter.

Não há nada pior que sentir no ar o que poderia ter sido e não foi.

Não há nada pior do que a mágoa do que ficou por explicar.

Não há nada pior do que o medo de ouvir o que não se quer.

4 comentários:

Tentativas Poemáticas disse...

Olá, SUM
Não há nada pior do que sermos esquecidos.
Como vê continuo a visitá-la, deliciando-me com os seus trabalhos.
Xicoração forte.
António

sum disse...

Obrigada António

JúliaML disse...

"A cada qual, como a 'statura, é dada

A justiça: uns faz altos
O fado, outros felizes.
Nada é prémio: sucede o que acontece.
Nada, Lídia, devemos
Ao fado, senão tê-lo."

Ricardo Reis

Este heterónimo, Sum, é chato, porque tem sempre razão, tipo padre :-))
Quando quero amainar o espirito, leio-o. há Pessoa para todas as ocasiões

sum disse...

Foi uma bela lição Júlia.

Jamais esquecerei.

Um beijinho