sábado, 8 de setembro de 2007

"Tenho Saudades Tuas"


Tenho visto alguns blogs ultimamente para me inteirar e integrar.
Um dos primeiros que vi foi “Da Inquietude”.
Vi porque o Pedro tinha no “personal message” do MSN o nome do seu blog; Vi para perceber o que era um blog; Vi para saber como se procura o que se quer; Vi… e revi-me neste dia 10 de Agosto… Por Pedro Rapoula quando são
14:21

Tenho saudades Tuas
Sinto a tua falta. E nem o dourado do sol nestes dias de céu azul, nem o calor afrodisíaco das noites de Agosto, nem tão pouco a certeza de que o verão vai chegar ao fim, ajudam a esquecer a falta que me fazes. Este é o dia em que as certezas se transformam em dúvidas, em que os risos se convertem em lamentos, em que a constatação de te ter perdido faz com que o inverno chegue muito mais cedo. Tenho tantas saudades tuas. Do sal no teu corpo, do sol nos teus olhos, das estrelas no teu sorriso. Da forma como te entregavas. E não sei tão pouco se ainda te amo ou se isto é apenas a saudade dos dias mais felizes da minha vida, os que passei ao teu lado, nesses verões em que o mar era o nosso denominador comum e o Alentejo era a nossa casa. “
Blog: Da Inquietude/Pedro Rapoula

Não resisti a transcreve-los (se assim se pode chamar), com ligeiras alterações, não para copiar, mas porque o texto em que me revi seria mais assim. Desculpa Pedro.

“Tenho saudades tuas
Sinto a tua falta. E nem o dourado do sol nestes dias de céu azul, nem o calor afrodisíaco das noites de Agosto, nem tão pouco a certeza de que o verão vai chegar ao fim, ajudam a esquecer a falta que ainda me fazes. Tenho tantas saudades tuas. Do sal no teu corpo, do sol nos teus olhos verdes, das estrelas no teu sorriso.…”
Tenho saudades das conversas que o vento levou, das promessas que o tempo selou, da ansiedade que a paixão provocou.
“…E não sei tão pouco se ainda te amo ou se isto é apenas a saudade dos dias mais felizes da minha vida, os que passei ao teu lado, nesse verão em que o mar era o nosso denominador comum e a areia era a nossa casa.“

Estes sentimentos são tão preciosos para mim que quando alguém capta e os transforma em palavras, eu sinto-os vivos dentro de mim outra vez...

Obrigada Pedro,

fizeste-me reviver os meus melhores momentos novamente e sentir saudades desses sentimentos tão bonitos que um dia eu experimentei.

1 comentário:

NETMITO disse...

Existem momentos que ficam para sempre afinal a vida é feita deles e uns fazem-nos viver muito mais...e gostar de cá andar...*