sábado, 10 de janeiro de 2009

Cada cousa é o que é



(a minha lente nova)




"A Espantosa Realidade das Cousas

A espantosa realidade das cousas
É a minha descoberta de todos os dias.
Cada cousa é o que é,
E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra,
E quanto isso me basta.

Basta existir para se ser completo.

Tenho escrito bastantes poemas.
Hei de escrever muitos mais. naturalmente.

Cada poema meu diz isto,
E todos os meus poemas são diferentes,
Porque cada cousa que há é uma maneira de dizer isto.

Às vezes ponho-me a olhar para uma pedra.
Não me ponho a pensar se ela sente.
Não me perco a chamar-lhe minha irmã.
Mas gosto dela por ela ser uma pedra,
Gosto dela porque ela não sente nada.
Gosto dela porque ela não tem parentesco nenhum comigo.

Outras vezes oiço passar o vento,
E acho que só para ouvir passar o vento vale a pena ter nascido.

Eu não sei o que é que os outros pensarão lendo isto;
Mas acho que isto deve estar bem porque o penso sem estorvo,
Nem idéia de outras pessoas a ouvir-me pensar;
Porque o penso sem pensamentos
Porque o digo como as minhas palavras o dizem.

Uma vez chamaram-me poeta materialista,
E eu admirei-me, porque não julgava
Que se me pudesse chamar qualquer cousa.
Eu nem sequer sou poeta: vejo.
Se o que escrevo tem valor, não sou eu que o tenho:
O valor está ali, nos meus versos.
Tudo isso é absolutamente independente da minha vontade. "


(Alberto Caeiro)


8 comentários:

M.Júlia disse...

...
Mas gosto dela por ela ser uma pedra...
Gosto desta fotografia, talvez pelo
contraste da cor dela, no meio do movimento da água azul.
Vale sempre a pena vir aqui e ficar com alguma beleza no espírito!
Bom fim de semana.

JúliaML disse...

Post mais lindo, Sum!
Caeiro, o poeta da Natureza e inventor do Sensacionismo.

Papiê disse...

Carinho, não te sei dizer coisas muito profundas porque as sinto e não as sei escrever, mas sim, sei que cada vez mais, gramo de ti minha coisinha fofa, gordinha e quentinha.

sum disse...

Obrigada MJulia, as suas palavras sao sempre um grande incentivo. Um beijinho grande.

sum disse...

Se nao fosse a Julia, onde teria eu conhecido estes dizeres?
Beijinhos e obrigada :D

sum disse...

Nao precisas de dizer nada de profundo. Basta dizer isso mesmo que disseste tb gosto de ti bjs

ana v. disse...

Linda, a fotografia! A lente nova só faz milagres nas mãos de gente com talento e sensibilidade...

Beijinho

sum disse...

Obrigada de coração Ana.
Gosto sempre dos seus elogios, fazem-me sentir mais segura :)))
Um beijinho