segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Cinco anos são um marco


Um ano é um marco. Cinco anos são outro marco.

No primeiro ano, todas as datas importantes e todas as coisas que nos emocionam, olhamos para baixo com lágrimas a bailar nos olhos, e pensamos com tristeza na falta que nos faz aquela partilha diária de toda a nossa vida desde o dia em que nascemos.
Temos pena de nós, choramos às escondidas. Tudo menos que percebam que a falta que sentimos é insuportável.

No primeiro ano, a dor é tão grande que tentamos fingir que tudo está bem, que tudo está a andar. Não queremos perguntas difíceis. O medo de não conseguir aguentar a dor, a falta, faz-nos trancar o coração, serrar os dentes e andar para a frente como um bulldozer. Há momentos em que tudo corre, mas ele há outros…

Depois conseguimos perceber que até sobrevivemos - afinal já passou um ano. Podemos com calma e aos poucos, voltar a trás e começar a recordar.

A partir do ano, todas essas datas e acontecimentos são momentos bons para nos lembrarmos de tanta coisa boa, não sem as tal lágrimas no canto do olho só que desta vez não escondidas e tímidas e sim frontais e seguras, sentidas com saudade.

Até hoje, não há dia que não me lembre, não há mês que não chore, não há ano que acalme o meu sentimento.

4 comentários:

JúliaML disse...

então e não há mais postagens? :-)

sum disse...

Estou oca Júlia. Não sai nada.
Tenho tentado, mas fico a olhar para dentro.
:)

JúliaML disse...

se calhar, é bom sinal :-)

escrever é um acto solitário...

inhos

sum disse...

Também espero que seja bom sinal.
Beijinho grande