quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Ser ou não ser


Observo por gosto. Sou desconfiada por natureza, prudente de feitio e sou medricas por defesa.


Não ganho nada com isso, é bem verdade.

Sempre fui virada para fora. Virada para as coisas que me rodeiam. As pessoas e os seus comportamentos sempre me fascinaram. A modo como reagem, como vivem, como se mexem, como falam. O fascínio do ser, do conseguir, do ganhar, do poder. As expressões, os sorrisos, o choro, a dor. Sempre me fez muita confusão saber que cada pessoa é uma só e que não há outra igual.

Sempre tentei perceber como é que cada pessoa vence ou não neste mundo de loucos. Como se agrupam as pessoas em função dos seus pensamentos, das suas reacções e principalmente de acordo com que afinidade de partilhas, de vivências ou ainda de experiencias.

Sempre tentei entender como se sobrepõem aos outros para conseguirem ser gente, como usam os seus potenciais, como se destacam, como se afirmam. Perceber o que dizem e o porque não dizem, o que os reprime e o que os faz sentir sublimes, o que mostram e o que escondem. Perceber o que os faz espernear lá no fundo e desdenhar cá em cima.

Às vezes mete-me medo. As pessoas são capazes de tanta coisa.

5 comentários:

fugidia disse...

:-)
(são)

Mike disse...

Temos, portanto, uma voyeur desconfiada e medricas... (muitos risos)

sum disse...

:))

sum disse...

Pois é Mike, e outras coisas que tais ... :))

Márcio Wanderley disse...

Aceita parceria? temos algo em Comum. Os nomes do Blog são Iguais, que tal sermos parceiros.