quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Saudades



Às vezes dá-me umas saudades loucas do ontem. Não têm tamanho. Vão daqui à Lua e voltam, dão voltas cá em baixo e tornam a subir. Não sei quando voltam de novo, andam-se a passear por lá na esperança de encontrar um bocadinho daquilo que um dia foi. Um dia... talvez encontrem... ou talvez não. Mas pode acontecer que com tanta volta, descubram algures um bocadinho de paz!

5 comentários:

Anónimo disse...

Ola Sum. Vim parar aqui um dia ao(s) seu(s) blog(s) por acaso e confesso que tem sido um prazer ler o que escreve mas também regalar a vista com a suas fotografias. Quanto talento! Acredito que deve pensar que nao. Deve fazer parte daquelas pessoas que nunca estao satisfeitas com o que produzem. Pouco importa aquilo que penso, mas que têm sido momentos bons, isso sim. Mas estes dias tem estado triste, engano-me? A tristeza sempre inspirou o poeta.
Nao me atrevi até agora a comentar os seus textos mas que gosto muito, é verdade.
Chamo-me Francisco de Sa e se lhe apetecer dar uns dedos de conversa teria muito gosto.
kikodesa@gmail.com
Continue Sum e obrigada.

sum disse...

Olá Francisco, muito obrigada pelo seu comentário, é sempre bom saber que alguém aprecia o que fazemos com gosto, se bem que sim, tem razão, por vezes com pouca convicção. A aprendizagem nem sempre é simples e rápida, demora o seu tempo e não é linear.

Quanto aos textos, às vezes são tristes sim, não por ser uma pessoa triste e nem sempre por estar triste, mas porque todos nós temos sentimentos tristes ao longo do dia, que reprimimos, por isto ou por aquilo e que persistem até que os deitemos para fora. É sempre mais fácil esconder do que falar, até porque, nem sempre esses pensamentos são compreensíveis à luz dos acontecimentos e nem sempre temos hipótese de encontrar alguém amigo que nos compreenda incondicionalmente e só porque sim. O Papel, neste caso o computador, é esse confidente amigo que nada critica, nada questiona e nada nos interrompe, tudo ouve, tudo aceita, tudo respeita. O amigo perfeito para aqueles sentimentos que nos assaltam sem dia nem hora marcada, por tudo e por nada.
Espero não estar para aqui a dizer um monte de coisas incompreensíveis
só para dizer que a tristeza, neste caso, não é mais do que tudo o que não conseguimos compreender e aceitar em nós e tudo o que não conseguimos ter só porque tanto queremos. Tudo isto não passa de uma carragada de mimo.
Quanto a comentar os textos, está sempre a vontade, até porque me ajuda a por a "cabeça no lugar" e a ver as coisas noutra perspectiva ou quem sabe me ajuda a perceber que existe alguém que eventualmente possa estar a sentir as mesmas coisas ou simplesmente que gosta de ouvir o que ás vezes tanto tenho para dizer.
E lá vão, não dois dedos de conversa, mas uma conversa de mão inteira.
Muito obrigada mais uma vez
Sum

Francisco de Sa disse...

Ola Sum, obrigado por ter respondido.
Não acho que a Sum seja uma pessoa triste, pelo contrario. Agredida sim, por vezes, e sonhadora. Muito sonhadora. E não ha nada pior, imagino, do que ter vivido todo ou parte de um sonho e "acordar" percebendo que o sonho acabou.
Pessoalmente acredito que se chama sonho às coisas que são, ou que podem ser, reais mas que não duram no tempo. Sonho-sonho é invenção do inconsciente. Os outros, os nossos sonhos, são aquelas coisas que se desejam tanto e que quando por vezes acontecem abrem avenidas inteiras de esperanças infinitas e fazem de nos pessoas novas e invenciveis. Mas quando desacontecem é muito dificil encarar de novo uma realidade que de repente aparece despida e sem sabôr.
Apesar da feminidade que a Sum imprime nos seus textos (é normal, não é?), parece-me que consigo perceber os sentimentos que quer exprimir. Foi isso o que mais me tocou, provavelmente porque, como diz, estarei eu mesmo a sentir coisas semelhantes. E é tão dificil falar delas porque nem sempre correspondem à imagem que os outros têm de mim! Não que ande para aqui a armar-me em fortalhão mas encontro nas suas palavras a tranquilidade de saber que não estou doido!!
Obrigado por isso também.
Como dizia o Pessoa: "Quem quer dizer o que sente, não sabe o que ha de dizer. Fala: parece que mente. Cala: parece esquecer".
Até breve espero.
Francisco

Francisco de Sa disse...

Olà Sum,
Imagino que tem mais que fazer do que trocar mensagens com pessoas que não conhece. Mas caso queira, tive que mudar o meu e-mail, o outro ja não serve: kikodesa63@gmail.com.
Francisco.

sum disse...

Olá Francisco,
Claro que respondi e volto a responder sempre, este cantinho é isto mesmo, uma partilha de informação e um sítio onde se podem trocar impressões! Nunca me dei mal, pelo contrário.
No que diz respeito aos sonhos, acho que acertou em cheio, pelo menos para mim!
A vida é um eterno sonho!
E adorei o Poema de Fernando Pessoa, para além de conseguir exprimir na perfeição muitas coisas que queremos dizer e que nem sempre podemos ou queremos ou conseguimos, ele é bonito. Já li várias coisas dele, mas este nunca me tinha passado pelas mãos. É de longe o meu poeta de eleição, acho que se nota bem nos meus blogs! :)
Obrigada pela sua atenção
Sum