quarta-feira, 6 de maio de 2009

Mudar



“Ainda não consegui perceber se o que nos muda é o tempo ou as pessoas que nos rodeiam”

Esta, foi uma frase que eu escrevi há uns anos num dos meus diários escritos.

Parece-me que hoje, depois de alguns anos já passados, consegui finalmente resolver na minha cabeça este grande enigma.

Acho que na nossa essência não mudamos. Sentimos temporariamente necessidade de mudar, pelos sentimentos que as pessoas que estão ao nosso lado nos provocam. Depois é uma questão de durabilidade, qualidade e estabilidade da relação que mantemos com essas pessoas.

Mas não sei se quero acreditar nesta resolução. Não me sinto muito à vontade com ela, essencialmente porque não é um pensamento politicamente correcto.

Verdadinha é que sempre ouvi dizer que "Quem nasce torto, tarde ou nunca se endireita" e também que “por trás de um grande homem está sempre uma grande mulher" e creio que vice-versa também deve ser verdadeiro. São dois dos ditados populares que me fazem acreditar que só mudamos pelas pessoas que temos à nossa volta e não por outra coisa qualquer (peço desculpa aos seres que não acreditam nos ditados populares).

Assim há pessoas que fazem de mim uma pessoa melhor e outras que fazem de mim a pessoa pior que há no mundo.

8 comentários:

Mike disse...

Os seres que não acreditam em ditados populares (vá-se lá saber porque já me estou a rir), têm algumas para lhe dizer, que também são verdadinhas. (risos)
Quem nasce torto, tarde ou nunca se endireita significa entregarmo-nos ao destino e, como se sabe, acreditar no destino não é nada saudável. E por trás de um grande homem está sempre uma grande mulher ou vice-versa - este vice-versa já foi a Sum que acrescentou... porque lhe soou mal a fraaaaaase, não é?... apanhada! (gargalhada)
Esse ditado está ultrapassado e revela preconceito sexual. (Cristo, este comentário está a ficar sem pernas nem cabeça... nem vou relê-lo)
Para concluir, que isto mais parece um post, comigo também há pessoas que fazem de mim uma pessoa melhor e outras que me tornam um diabo. Mas que o tempo nos muda, disso não tenho dúvidas. O tempo muda tudo, Sum. E se não muda, é porque abdicámos de viver. :)
E abalo que devo ter escrito um monte de disparates. :)))

fugidia disse...

Provocação:
haverá pessoas a quem queremos agradar
(seja por que razão for, seja por que período de tempo quisermos ou precisarmos)
que nos impelem a dar o nosso melhor?,
e outras para «quem é, bacalhau basta» (xii, provérbio hard, não?)?

Ou seja, não concordo com «o que nasce torto tarde ou nunca se endireita» ou que são os outros que fazem de nós melhores ou piores.
Acho que somos nós que queremos (ou não) revelar o que de melhor temos, durante o tempo que quisermos, dependendo do que o Outro significa para nós.

Pode parecer que nos reduzo a um ser interesseiro mas o que significa, na realidade, é que o que somos depende só de nós próprios.
É por isso que procurar ser e fazer o melhor possível, a cada dia que passa, é a grande responsabilidade que temos para connosco e para com os outros.

Sara L.Miranda disse...

Talvez ambos. Uma mensagem muito bonita.
Que faz pensar.
Um beijinho grande e parabens pelo blogue.

Ana disse...

Olá, Sum!
Peguei neste enigma e encontrei um poema de Ondjaki.
Espero que goste:
vozes_dissonantes.blogs.sapo.pt
Ana

sum disse...

Ui Mike, também não sei porque se está a rir!!!(risos)
Mas ainda bem que tem umas verdadinhas para me dizer, às vezes preciso de as ouvir...(risos)
Entrega ao destino nunca, tem toda a razão. Só não sei o que este ditado tem a ver com essa entrega!!! Ainda assim aceito que possa pensar dessa forma, porque sou extremamente condescendente (muitos risos).
Quanto ao vice-versa. Sim soou-me mal, mas foi porque acho que às vezes (poucas) ainda há grandes homens atrás das grandes mulheres. Mas pode sempre ser coisas da minha cabeça e isso ser impossível e desta forma não existirem grandes homens...ufff (já estou cansada da minha explicação – lol – tenho sempre medo que não se entenda bem aquilo que digo ou escrevo)
Concordo que há pessoas que nos fazem querer ser melhores e por isso assumo que elas fazem de mim uma pessoa melhor e que tb sou uma diabinha algumas vezes.
Quanto ao tempo que muda tudo… bem issoooo, vá até tem razão o tempo tudo muda, até a surda muda… Mas, e muito teimosa insisto: o nosso interior, já tive muitas provas, só muda quando algo de interessante nos leva a mudar!

Leva-nos a outro post - É por isso é que não desistimos de viver, porque estamos sempre à espera de coisas interessantes. Esperança!

Que grande desconversa esta (risos)

sum disse...

Fugi,
Tem toda a razão. Foi isso mesmo que eu quis dizer, mas sou tão trapalhona a falar que, pelos vistos não me consegui explicar.

A questão é mudar ou não mudar e o que nos faz mudar. Essa foi a conclusão a que cheguei somos sim muito interesseiros, para nosso bem e para bem de quem está ao nosso lado ou não (risos).
Procurar ser e fazer o melhor possível, a cada dia que passa é o que tento todos os dias sim, o pior é quem nos passa pela frente de vez em quando… (risos)

sum disse...

Obrigada Sara.
Gosto muito que tenha gostado do meu cantinho.
Um beijinho

sum disse...

Olá Ana,
Já vi e gostei muito.
Obrigada pela sua atenção.